TETO - Arquitetura Sustentável

Como fazer um coletor de água da chuva II:

 

Economizar na conta de água está cada vez mais fácil. Utilizando materiais baratos e fáceis de encontrar, você pode deixar sua casa mais sustentável.

Neste caso, o custo maior é conseguir os galões de aproximadamente 50 litros (varia de acordo com o lugar) e os tubos para a instalação hidráulica.

Os galões devem ser dispostos na parte exterior da casa e de preferência em algum suporte que aguente o peso da água. Um dos galões deve ter uma abertura na parte superior, onde a calha irá desembocar. É importante que essa abertura superior tenha alguma rede ou peneira para separar a água de folhas e outros detritos. A partir daí instala-se uma tubulação na parte inferior que liga os dois galões e estipula o tipo de saída para a água.

 

Fonte: http://arquiteturasustentavel.org/como-fazer-um-coletor-de-agua-da-chuva/

COMO FAZER UM COLETOR DE ÁGUA DA CHUVA

 

Economizar água é uma questão fundamental para qualquer pessoa consciente e uma das formas mais simples para reduzir seu consumo, deixar sua casa mais sustentável e seu jardim mais bonito, é coletando água da chuva. Aproveitando parte da água que cai no telhado, é possível obter a quantidade suficiente para regar jardins, lavar a calçada e a garagem. Isso pode representar uma diminuição considerável na conta de água de uma casa com quintal.

O site WikiHow fez um tutorial bastante didático de como fazer um coletor de águas pluviais utilizando materiais bastante fáceis de encontrar. Veja o tutorial e compartilhe!

Materiais: Um barril / Uma tela com pouco espaço entre os fios / Uma torneira / Uma válvula registro / Fita veda-juntas / Selante à prova d’água

Ferramentas: Furadeira / Serra tico-tico

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-5

1º Passo: Encontre o local ideal para instalar seu coletor

Esse passo pode ser mais difícil do que parece. É preciso atentar ao tipo de solo do terreno, já que um barril cheio pode pesar mais de 200 quilos.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-1

2º Passo: Defina o tamanho do barril

O tamanho pode variar de acordo com a quantidade e demanda de água. Em média, são usados coletores de 200 litros.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-2

3º Passo: Escolha o tipo de barril

Os barris podem ser plásticos, de borracha ou até mesmo de madeira ou metal. No caso dos barris de madeira, eles oferecem um aspecto mais rústico ao seu sistema, porém, os mais eficientes acabam sendo os de plástico ou borracha.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-3

4º Passo: Limpe bem a parte interna do barril

É importante que os barris sejam vedados e tratados para não soltar nenhum tipo de substância na água.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-4

5º Passo: Faça um furo na parte superior do barril

Use a serra tico-tico para fazer um furo com o diâmetro suficiente para receber a água da calha. Geralmente, 15 centímetros são suficientes para a passagem de água.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-6

6º Passo: Instale a tela no furo do barril

A tela coletora será importante para que detritos como folhas e outros resíduos não entrem em seu coletor. É importante que a tela não tenha treliças de metal, pois podem enferrujar, e que sua abertura seja bem pequena. Com isso, insetos também ficaram de fora do barril.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-7

7º Passo: Instale a torneira

Faça um furo a uma altura baixa o suficiente para caber um balde embaixo. Com a furadeira, faça uma abertura de cerca de 2cm. Ela deverá ser suficiente para a instalação das maiorias das torneiras para jardim.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-8

8º Passo: Vede a torneira

Utilize a fita veda-juntas para evitar o vazamento de água pela abertura da torneira.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-9

9º Passo: Encaixe a torneira e a vede por fora

Atarraxe a torneira na abertura e utilize o selante para deixar a torneira ainda mais segura.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-10

10º Passo: Faça um suporte

Defina a altura que o barril será instalado e crie um suporte embaixo para que a altura seja ideal para encher um balde. Blocos de concreto podem ser uma ótima opção.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-11670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-12

11º Passo: Remova o excesso do cano

Caso o cano que desce da calha não esteja do tamanho correto para ser encaixado no coletor, corte ou retire o excesso e o direcione diretamente para a abertura do barril.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-13

12º Passo: Coloque o barril no suporte

Agora com o barril quase pronto e o local de instalação preparado, suba o coletor até o suporte. Verifique se o barril está equilibrado.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-14

13º Passo: Faça um ladrão

Faça um furo na lateral do barril na parte superior. Essa abertura fará com que o excesso de água seja liberado do barril.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-15

14º Passo: Encaixe a válvula

Instale a válvula na abertura lateral superior.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-16

15º Passo: Leve a água em excesso até o ralo

Com uma mangueira pequena, encaixe uma extremidade na válvula do ladrão e a outra, coloque em direção ao ralo.

670px-Make-a-Rain-Barrel-Step-17

16º Passo: Pronto! Seu coletor está pronto.

Agora é só usar. Veja mais tutoriais interessantes como esse em WikiHow

670px-Make-a-Rain-Barrel-Intro

 

Fonte: http://arquiteturasustentavel.org/como-fazer-um-coletor-de-agua-da-chuva/

8 DICAS PARA QUEM ESTÁ PROCURANDO UM IMÓVEL MAIS SUSTENTÁVEL


Em nosso modelo atual de habitação, encontrar uma casa ou apartamento que obedeça ao modelo de construção sustentável,  é uma missão quase impossível. Contudo, se você está à procura de um imóvel para morar e deseja que seu novo lar ofereça menos impacto ao ambiente, veja essas 8 dicas que te ajudarão na hora de escolher a melhor opção.

Dica 1:  Procure saber se a casa tem espaço para enterrar uma cisterna ou instalar coletores de água de chuva.

Mesmo que o local não disponha de um sistema de coleta de água pluvial, que pelo menos ofereça condição para instalar um sistema de captação. (Saiba como fazer um coletor de água da chuva aqui)

agua_chuva_3

Dica 2: Pesquise se é possível instalar equipamento para captação de energia solar.

A conversão da energia solar em eletricidade permite uma boa economia.

 

Dica 3: Verifique se há área de escoamento.

Se o terreno não tem área para a água da chuva escoar, veja se seria possível criá-la trocando calçadas e acessos por pavimento permeável que ajude a aliviar a rede de esgoto.

62

Dica 4: Veja se a iluminação e a ventilação naturais são boas.

A ideia é que você gaste o mínimo possível com iluminação artificial durante o dia, já que o sistema natural deve dar conta das necessidades mais básicas.

asas

Dica 5: Informe-se sobre a existência de ciclovias por perto.

Com a finalidade de passear, fazer exercício ou ir ao trabalho, as ciclovias já fazem grande diferença como alternativa aos carros para reduzir o impacto no meio ambiente.

ciclovia2

Dica 6: O jardim deve ter um espaço suficiente para plantar uma horta.

Quem segue à risca hábitos sustentáveis e saudáveis planta seus próprios alimentos no jardim de casa.

marco3 669

Dica 7: Certifique-se de que a rede elétrica do imóvel ecológico é 220V.

Como a circulação da corrente elétrica é menor, acaba sendo mais econômica que a de 110V.

ferias-tomada

Dica 8: Descubra qual a oferta de serviços básicos.

Dê preferência a fazer tudo à pé. Por isso, é interessante que supermercado, farmácia e banco, por exemplo, sejam próximos de onde você mora.

Mapa_Girassois_800x600

 

Fonte: http://arquiteturasustentavel.org/8-dicas-para-quem-esta-procurando-um-imovel-mais-sustentavel/

Casa sustentável “passivhaus”

multipod studio challenges passive construction with pop up house
all images courtesy of multipod studio

 

Desenho primoroso, técnica sustentável. Já  viu uma casa sendo construída em menos de 3 minutos? Assista ao vídeo, incrível!

http://vimeo.com/81180775

the ‘pop-up house’ by french design and architecture firm multipod studio challenges current passive construction techniques. wanting to develop a structure that offered an alternative to traditional building solutions, the project also sought to reduce the need for heating, which is a major factor in global energy consumption and one of the main household costs today. the environmentally friendly dwelling can be assembled using lightweight and recyclable materials and rapidly installed without any special tools. the first prototype has been built in the pine valleys of the south of france, displaying the inexpensive and highly insulated ‘pop-up house’.

 

multipod-studio-pop-up-house-designboom02
the house is rapid to installation, low cost, recyclable and passive

 


exterior view showing material finishes with rain screen and wood siding

 


the volume can be adapted to suit different styles of architecture

 


the central living room is furnished with with custom-made furniture

 


insulation blocks are separated by wooden boards

 


the construction required just a simple electric screwdriver

 


detail view of the low cost and recyclable materials

 


the structure can be assembled with long wooden screws

 


conventional building solutions can be applied to the interior finishes

 


floor plan

 


front elevation

 

 

Fonte: http://www.designboom.com/architecture/multipod-studio-passive-construction-pop-up-house-03-12-2014/?utm_campaign=daily&utm_medium=e-mail&utm_source=subscribers

Casa sustentável em SP produz toda a energia que consome


A residência possui sete painéis solares.A residência possui sete painéis solares.

 

A Casa_63, localizada em São José dos Campos, interior de São Paulo, será a primeira da região do Vale do Paraíba a gerar energia solar num sistema integrado à rede concessionária.

Idealizado pelo escritório Civitas do engenheiro civil Daniel Secches, o projeto possui sete painéis solares fotovoltaicos da empresa Solar Energy, que geram cerca de 200 kwh/mês, suficiente para o consumo de uma família de quatro pessoas.

A residência teve o medidor de energia trocado pela EDP Bandeirante para um modelo bidirecional. A partir de então, passa a ser contabilizado o quanto a residência produz de energia solar e o quanto ela consome da concessionária, devendo, dessa forma, zerar a conta de energia do imóvel.

 

A cobertura verde foi outra técnica adotada pelo escritório. A opção deu maior conforto térmico à casa e garantiu maior área permeável, ajudando assim a mitigar o impacto das chuvas. Contudo, a maior vantagem segundo Secches, é o ganho em espaço de lazer e em área útil da casa. “Se analisarmos que o terreno onde construímos custa em média R$ 1.000/m2 ao ganhar uma área de ‘quintal’ de 80m2, ganhamos aproximadamente R$ 80 mil”, diz o engenheiro civil em entrevista ao CicloVivo.

As águas da chuva coletadas na cobertura verde são armazenadas em um reservatório e reutilizadas na irrigação automatizada do jardim e na limpeza.

 

 

Uma das metas do escritório era gerar somente uma caçamba de entulho em toda obra. Para isso, adotaram a estrutura metálica, mais leve, eficiente e prática de ser aplicada. As lajes também são metálicas, do tipo ‘Steel Deck’, o que reduziu a quantidade de mão de obra e desperdício de material usado na concretagem tradicional.

 

Como técnicas passivas, o engenheiro adotou a ventilação cruzada. A residência de 377m2 conta com uma área central com pé-direito duplo que possibilita o efeito chaminé, retirando o ar quente da casa e o uso de grandes aberturas.

 

Além dessas ações, a empresa também reutilizou aproximadamente seis caçambas de entulho no aterro da casa e deixou toda a tubulação elétrica e hidráulica aparente, para facilitar a manutenção, evitando quebra-quebra e geração de resíduos. A residência possui aquecedor de água solar e equipamentos economizadores de água.

Segundo Secches, a Casa_63 foi construída em seis meses e custou exatamente o mesmo que outra residência do mesmo padrão no mesmo condomínio. Para o engenheiro, a principal motivação para construir de forma sustentável é a de não aceitar o método construtivo tradicional e o tanto de desperdício que ele proporciona. “Cada caçamba de entulho, mais do que o impacto no meio ambiente, representa dinheiro jogado no lixo, afinal alguém pagou por tudo aquilo que está sendo jogado!”

 

Fonte: http://ciclovivo.com.br/noticia/casa-sustentavel-em-sp-produzira-toda-a-energia-que-consumir

© TETO - Arquitetura Sustentável | Home - Quem Somos - Portfólio - Serviços - Blog - Green News - Contato